Vamos tentar resumir o ocorrido da cerveja B..." /> O que aconteceu com a cerveja Belorizontina? - Etili.co


Cerveja

Publicado em janeiro 16th, 2020 | por Lucas

0

O que aconteceu com a cerveja Belorizontina?

Vamos tentar resumir o ocorrido da cerveja Belorizontina da cervejaria Backer. Todo o conteúdo dessa postagem é baseado em pesquisas feitas na internet e não consiste em acusação e/ou suposição sobre a marca.

Desde o princípio do ano, foram notificados 17 casos de síndrome nefroneural com suspeita de contaminação por dietilenoglicol e monoetilenoglicol.

Mas o que seriam dietilenoglicol e monoetilenoglicol

O dietilenoglicol e monoetilenoglicol são compostos químicos anticongelantes utilizados para o resfriamento da cerveja durante o processo de fermentação. Ele, por ser toxico não é misturado ao produto, apenas passa no interior de serpentinas ou pelas paredes externas dos tanques.

O que faz o dietilenoglicol e monoetilenoglicol tão importantes ao processo de fabricação de cerveja em larga escala é a sua função anticongelante que, por exemplo se misturado com água, pode-se utilizar a água abaixo de 0 graus em estado líquido, sem congelar, tornando o processo de refrigeração mais eficiente.

O dietilenoglicol é tóxico se uma pessoa ingere entre 1 e 2 ml por dia. Mas isso depende de muitos fatores como a idade, o peso, o estado de saúde do paciente, entre outras variáveis. O que o deixa tão traiçoeiro é que ele possuim um sabor adocicado e muito sutil, difícil de ser detectado na ingestão.

É possivel substituir o dietilenoglicol ou o monoetilenoglicol?

Segundo especialistas, a melhor opção para substituir ambas susbtâncias no processo de fabricação é o trietilenoglicol, que não é tóxico, porém tem um custo cinco vezes maior. Também pode-se usar etanol ou uma salmoura muito concentrada, mas essas são opções menos eficientes. Em todas as alternativas, o custo de produção é impactado com a substituição.

Mas o que aconteceu na cervejaria Backer?

Qualquer suposição que se faça sobre a contaminação, seja por sabotagem ou por falha no processo industrial é leviano, visto que as investigações ainda estão em curso. O que podemos é descartar algumas linhas de investigação conforme anda o processo, como por exemplo a violação das garrafas. O laboratório que está analisando as garrafas recolhidas na indústria atestou que os recipientes estavam lacrados e descartaram violação. Somente depois desse teste, as garrafas foram analisados pela perícia técnica da PC, com a constatação dos dois agentes químicos na bebida. 

Saiba mais sobre cervejas, aqui.


Sobre o Autor

Lucas

Estou aqui só pela bebida. Já tive alguns blogs ai mas deu na telha de começar do zero.



Back to Top ↑

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com