Bacardí


O rum Bacardí, sem sombra de dúvidas é o rum mais famoso do mundo. Tão famoso que a sua marca já virou nomenclatura para a bebida. Bacardí está para rum assim como Bombril está para palha de aço, Gilette para lamina de barbear e Band-aid para curativos autocolantes.

A história da empresa se mistura com a história do rum e até com a história de Cuba, como podemos ver nos próximos parágrafos.

O Rum

Embora vir da mesma fonte que a brasileiríssima cachaça, elas são bebidas diferentes. Enquanto a nossa cachaça vem do caldo de cana, a famosa garapa, o rum é destilado a partir do melaço da cana, um subproduto do processo de fabricação de açúcar.

História do Bacardí

Nascido em solo espanhol, Facundo Bacardí Mossó mudou-se aos 14 anos de idade para a ilha de Cuba onde começou a se destacar como importador e mercador de vinhos. Logo que teve contato com o Rum produzido na época, que era de baixa qualidade, com sabor muito acentuado e causava uma ressaca infernal, Facundo desenvolveu uma fórmula secreta e um sistema de filtragem que deixava o rum encorpado, porém mais suave e muito agradável ao paladar. Seu sistema de filtragem também amenizava os efeitos do porre. Como todo entusiasta, nosso amigo Facundo começou a produzir para consumo próprio e distribuir apenas para amigos próximos. Mas o destino e a vontade de beber algo bom fizeram sua parte e aquela distribuição caseira se tornou grande, tão grande a ponto de se tornar a primeira multinacional cubana, quando Facundo inaugurou sua fábrica na Espanha. Mas o salto não foi assim tão rápido.

Bacardí história garrafas

Em 1862, o “seu Mossó” comprou uma destilaria por 3.500 pesos na cidade de Santiago de Cuba fundando a empresa Rum Bacardí y Compañia. A destilaria era bastante velha em seus altos telhados de zinco era habitada por morcegos. A inspiração para o famoso morcego da marca.

Mas nem tudo são flores para a família Bacardí

Depois de sua morte e a expansão mundial do rum Bacardí, o revolucionário Fidel Castro e sua guerrilha derrubaram o governo de Fugêncio Batista e confiscaram de forma ditatorial todos os ativos da família. Como achou que tinha se apossado da marca, Fidel ainda tentou comercializar internacionalmente o Rum, mas foi derrotado pela família em todos os processos em países que tentou utilizar o nome Bacardí. O sucesso era tamanho que em 1983 foram vendidas aproximadamente 200 milhões de caixas.

Os drinques

Muito da fama da marca se deve aos drinques feitos com a bebida e, reza a lenda, que foram criada de forma bastante peculiar. O  Cuba Libre se deve ao pedido de soldados americanos, de folga em Havana, para beber uma mistura de Coca-Cola, rum, limão e gelo e aproveitaram para brindar por uma Cuba libre. Já o Daiquiri foi um pedido de um engenheiro de minas que estava em Cuba e pediu uma mistura de rum, lima fresca e açúcar.

Diversificação

A partir de 1990 a empresa começou a diversificar sua linha de produtos, acrescentando sete opções de sabores para o rum: limão, laranja, framboesa, maça, pêssego, melancia e coco além de versões de bebidas pré-preparadas dos seus drinks mais famosos. Isso alavancou ainda mais as vendas atingindo um publico mais jovem. Vai dizer que nunca bebeu um Big Apple com Schweppes Citrus?

Bacardí sabores

A empresa conta ainda com outras derivações de rum como o BACARDÍ 8, originalmente uma bebida particular da família Bacardí, é o rum mais sofisticado e complexo da marca, amadurecido por mais de oito anos em barris de carvalho cuidadosamente selecionados; BACARDÍ SELECT(rum com 40% de graduação alcoólica); BACARDÍ RESERVA LIMITADA, feito de runs amadurecidos em tonéis de carvalho branco americano ligeiramente queimados e somente disponível no Centro de Visitantes da Casa Bacardí (em Cataño, Porto Rico), na loja da marca em Nassau ou em lojas refinadas em seletas ilhas do Caribe; BACARDÍ 151, rum de alto teor alcoólico, aproximadamente 75.5%; BACARDÍ AÑEJO, um rum super premium envelhecido por três anos; BACARDÍ SOLERA 1873, envelhecido em barris de carvalho por três anos e que utiliza o sistema de solera; BACARDÍ GOLD (ORO), rum de aroma intenso e defumado, robusto, amadurecido em barris de carvalho americano queimado, muito utilizado para fazer Cuba Libre; e BACARDÍ AOKHEART, um rum com especiarias cujo sabor robusto é resultado de seu envelhecimento em barris de madeira de carvalho queimada.

 

Bacardí especial 8

 

Visite o site oficial em português e conheça mais sobre a marca.

COMENTÁRIOS
ANTERIOR Hidromel, a primeira bebida alcoólica do mundo
PRÓXIMO Jägermeister